pessoas diversas sorrindo

Nossa Gente: conheça a história de Yomar Rodriguez

Published on : 03-07-2024
Reading time : 7 min
  • Na editoria “Nossa Gente” deste mês, convidamos vocês a conhecerem a história de Yomar Rodriguez, gerente de Unidade Adjunto na Sodexo.

    Jovem venezuelano deixou seu país em busca de um futuro melhor e hoje é gerente na Sodexo

    Yomar Rodriguez refugiado venezuelano
    Em novembro de 2017, o venezuelano Yomar Rodriguez, então com 18 anos, desembarcou no Brasil em busca de um sonho: ter um futuro melhor longe do seu país. Mas o que ele viveu nos primeiros meses como refugiado por aqui, quando chegou ao país cruzando a fronteira em Roraima, não foi nada animador. Sem emprego e apoio, muitas vezes buscava se alimentar com o que encontrava na rua. 

    As coisas começaram a mudar quando ele deixou Roraima, onde viveu por seis meses, graças ao programa da Organização das Nações Unidas (ONU) para refugiados, e passou a viver em um abrigo em São Paulo. Na capital paulista, fez cursos de português e de desenvolvimento de habilidades para o mercado de trabalho. Com a bolsa que recebia do curso e o trabalho em um restaurante boliviano aos finais de semana, tinha o suficiente para viver com dignidade.

    Mas ele queria mais. Foi quando um amigo falou de uma vaga para auxiliar de limpeza na Sodexo. Passou na entrevista e, desde então, vem galgando seus objetivos de crescimento na companhia. “Meu sonho era ter um trabalho com carteira assinada”, ele lembra. “Eu não tinha perspectiva na Venezuela, era uma vida difícil. Hoje, posso ajudar minha mãe”, diz.

    Perspectiva de prosperar

    Oito meses depois de ter entrado na Sodexo veio a primeira promoção para oficial de estoque. E, há pouco mais de um ano, depois de assumir novas funções, Yomar virou gerente adjunto em um dos nossos clientes no segmento Saúde. 
    Desde que entrou para a companhia, ele já voltou ao seu país de origem três vezes para visitar a família e a noiva, que é estudante de medicina.

    “Nunca imaginei que iria chegar aonde estou, hoje eu sou gerente. Foi sofrido no início, em Roraima, onde cheguei a comer comida do lixo, mas a partir do programa da ONU, do Governo do Brasil e da oportunidade da Sodexo, após sete anos no país, faço o melhor do meu melhor e tenho a perspectiva de prosperar”, comemora. 

    Celebrado em 20 de junho, o Dia Mundial do Refugiado é fundamental para as empresas refletirem seu papel. A Sodexo reafirma seu compromisso com a inclusão daqueles que foram obrigados a deixar seus países, proporcionando uma oportunidade de emprego digno para reconstruir suas vidas em outra nação.

    Ações da Sodexo 

    No mundo, de acordo com dados da Agência da Organização das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), já são 110 milhões de refugiados. No Brasil, ainda de acordo com a organização, em 2023 o país recebeu 58.3628 solicitações da condição de refugiado. 
    Além de Yomar, a Sodexo Brasil possui em seu quadro 385 colaboradores refugiados e imigrantes, sendo 287 vindos de países como Angola, Guiné, Haiti, Senegal e Venezuela. Entre as ações comandadas pelo nosso time de Diversidade, Igualdade e Inclusão para refugiados e imigrantes estão o curso profissionalizante Somos Todos Cuidadores, que desde 2019 já formou mais de 170 pessoas; e o projeto Empoderando Refugiadas, cujo objetivo é sensibilizar o setor privado sobre a realidade dos refugiados e promover boas práticas de integração. 

    A Sodexo ainda é membro do fórum Empresas com Refugiados, com a participação de empresas e organizações interessadas em promover a inclusão de refugiados no mercado de trabalho e, globalmente, também somos integrantes da Tent Partnership for Refugees, fundação que estimula a ação do setor privado quanto à crise global de refugiados.