preparação dos alimentos

Nossa Gente: Na Sodexo, alimentação segura é tema para todos os dias

Published on : 25-06-2024
Reading time : 8 min
  • Neste mês, em que celebramos o Dia Mundial da Segurança do Alimentos, Daniela Kolbe, coordenadora de Segurança dos Alimentos da Sodexo, explica a importância dos processos bem-estruturados no dia a dia dos serviços de alimentação, para garantir a entrega de refeições saudáveis e seguras.

    Na Sodexo, alimentação segura é tema para todos os dias

    Apaixonada pela prática da manipulação correta dos alimentos, Daniela Kolbe, muito antes de se tornar uma profissional da área, lembra de quando ia ao supermercado com os pais e ficava lendo os rótulos para saber questões como informações nutricionais e validade dos produtos expostos nas prateleiras. A coordenadora de Segurança dos Alimentos da Sodexo lembra de que, quando foi prestar vestibular, ficou surpresa ao folhear o Guia do Estudante e se deparar com o curso de Engenharia dos Alimentos.

    Daniela não teve dúvidas de que essa seria sua profissão, que já a acompanhava – inconscientemente – há tantos anos. Foi neste período que optou por sair de Brasília (DF), onde residia e não havia o curso, rumo a outro estado em busca de seu sonho. E foi a partir de então que a coordenadora se mudou para Porto Alegre (RS), onde posteriormente ingressou na Sodexo.

    “Aqui é um aprendizado contínuo, uma empresa que está sempre muito à frente no que diz respeito à segurança dos alimentos. Temos uma equipe técnica bem-estruturada em todas as nossas operações”. 

    Um Pilar que é inegociável

    “Trabalhamos de forma contínua aprevenção, com proatividade e defendendo sempre a prática de procedimentos seguros, justamente para estarmos preparados para situações inesperadas, prevenindo que aconteça qualquer tipo de acidente envolvendo a alimentação (Doença Transmitida por Alimentos, alergia ou lesões ao consumidor)”, ressalta.

    Daniela ainda cita as campanhas internas de prevenção, como a deste ano, cujo tema é “Prepare-se para o inesperado” e que vem completamente alinhada à campanha global da FAO (sigla em inglês para Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura) e com o programa “Mentalidade Zero Dano” e a campanha “Quase Acidentes” – as duas últimas da Sodexo.

    A metodologia da companhia, que tem como um dos pilares inegociáveis a segurança dos alimentos, consiste em garantir a proteção envolvendo toda a cadeia de produção, que vai desde a contratação de fornecedores e parceiros, passa por diversas áreas internas da empresa e chega ao consumidor final. “As ações que fazemos dentro da Sodexo não trazem benefícios apenas à empresa, pois conseguimos mobilizar todo nosso ecossistema de de fornecimento”, destaca a coordenadora. Por trabalhar em diversos setores e clientes variados no Brasil inteiro, a Sodexo foca diretamente na padronização dos processos de segurança, sobretudo, em tópicos como treinamentos, conscientização e nas comunicações enviadas com linguagem acessível e menos técnica para garantir que a mensagem seja absorvida por todas as pessoas. “Todos esses procedimentos existem para que tenhamos clareza em todas as operações, garantindo que todas sigam os processos que desejamos para promover a segurança dos alimentos do campo à mesa e atestar a qualidade das refeições que entregamos para os nossos clientes diariamente”, finaliza Daniela. 

    Confira algumas dicas da profissional para o manuseio correto dos alimentos em casa e, dessa maneira, evitar a contaminação por DTA (doença transmitida por alimento):

    • Higienize as mãos com frequência quando estiver cozinhando;
    • A desinfecção dos produtos de hortifrúti deve ser feita com água sanitária (aquela indicada para este fim) ou um produto apropriado;
    • Não lave frango ou carnes porque esse método pode espalhar os microrganismos, existente nesses alimentos crus. A temperatura de cozimento já vai destruir as bactérias que podem existir. 
    • Os microrganismos se multiplicam rapidamente se o alimento cozido for deixado em temperatura ambiente por mais de duas horas. Os alimentos devem estar muito quentes ou muito frios pois, nessas temperaturas, os microrganismos não podem se reproduzir.